Você sabe a diferença entre um investimento pré e um pós-fixado?

Um é indicado “para aqueles investidores que gostam de competir com o mercado”. O outro é definido sempre com um indexador como CDI ou Selic. Para o leigo, parecem apenas detalhes, mas, na prática, saber a diferença entre um investimento pós ou prefixado pode representar a diferença entre trocar de carro ou não, viajar ou não, bancar o intercâmbio do filho ou não.

“É importante que se tenha essa cultura de poupar, investir e procurar entender um pouco melhor do mercado, que não é um mercado elitizado”, diz o economista Hernani Miguel. “Hoje você vê os jovens procurando entender. Nos próximos dez anos, vai ser um negócio fantástico.”

Sobre o PoupaBrasil Investimentos: Somos uma fintech de investimentos, o único marketplace especializado em renda fixa no Brasil, que reúne instituições financeiras sólidas e oferecem investimentos com a garantia do Fundo Garantidor de Créditos (FGC) e registro dos títulos na B³. Criado há três anos, o PoupaBrasil tem por objetivo democratizar o acesso da grande maioria dos brasileiros a novas oportunidades de investimento, com excelente rentabilidade, independentemente do valor investido.

Matéria completa; https://projetodraft.com/qual-a-diferenca-entre-um-investimento-pre-um-e-pos-fixado/

Facebook anuncia seu “próprio Bitcoin”, a criptomoeda Libra

O Facebook anunciou, nesta terça-feira (18), a Libra, sua moeda virtual. Com a Libra, os usuários poderão fazer transferências de dinheiro pelo WhatsApp, Facebook e Instagram e em outros aplicativos.

Um dos benefícios são as taxas quase zeradas e, por ser uma criptomoeda mundial, menos conversões de câmbio.

Devido aos 2,4 bilhões de usuários que o Facebook possui, a rede social tem o potencial de criar uma moeda realmente utilizada pelo mundo todo – e não apenas na internet.

A expectativa é que a Libra também seja utilizada em compras físicas, através da carteira digital Calibra.

O projeto é milionário e o Facebook não está sozinho nessa. A empresa criou a Libra Association, instituição sediada na Suíça que será responsável pela criptomoeda.

Participarão da instituição empresas como Visa, Uber, PayPal e Mastercard – que já investiram, cada uma, 10 milhões de dólares no projeto.

Essa é uma de suas diferenças em comparação ao Bitcoin, a criptomoeda mais valorizada e que popularizou as moedas digitais. O Bitcoin não possui nenhuma instituição responsável.

Já o Facebook preferiu reunir outras empresas para auxiliar nessa responsabilidade e fugir dos comentários de monopólio – uma das críticas de um de seus fundadores. A expectativa é que a Libra seja lançada oficialmente no primeiro semestre de 2020.

Mas apesar das diferenças, a divulgação da Libra impactou positivamente na valorização do Bitcoin. No mesmo dia do anúncio, a criptomoeda recebeu a maior valorização do último ano, alcançando mais de 9 mil dólares.

E você, usaria uma criptomoeda criada pelo Facebook?

“Teremos um futuro brilhante, a curto prazo, para todas as camadas da população brasileira”

Rapidamente, a forma como ouvimos música, assistimos televisão, pedimos um táxi ou comida mudou. Em comum a todas essas revoluções, está a tecnologia, literalmente na palma da mão. “As gerações mais recentes dificilmente vão ao banco, elas resolvem sua vida financeira usando celular com total mobilidade e conveniência”, diz Carlos Fagundes, CEO da Integral Trust, uma empresa de serviços financeiros e tecnologia.

Fundada em 1989, a Integral Trust se especializou em finanças corporativas e gestão de riscos. É a desenvolvedora da infraestrutura tecnológica do PoupaBrasil. “Antes de ser uma inovação de área de tecnologia, o PoupaBrasil é uma inovação financeira”, diz Fagundes, citando a democratização do acesso.

Antes de fundar a Integral Trust, Fagundes foi CFO do Chase Manhatan e presidente do Itaú Leasing. Em entrevista, o executivo fala sobre como a tecnologia está mudando (e vai mudar ainda mais) a forma como o brasileiro se relaciona com o dinheiro. “Teremos um futuro brilhante para todas as camadas da população.”

6 séries para empreendedores que provam que investir pode mudar sua vida

Engana-se quem acha que a televisão não tem outro papel que não seja o de entreter. Afinal, não há apenas produções com a intenção de divertir e relaxar. Há também programas que ensinam lições valiosas para quem procura crescer profissionalmente, como as séries para empreendedores.

Por essa razão, reunimos neste post 6 títulos que você não deve deixar de assistir. Acompanhe abaixo a nossa lista e veja como empreender é uma tarefa mais descomplicada do que parece!

1. Séries para empreendedores: Suits

Na história, o jovem Mike Ross (Patrick J. Adams) largou a faculdade e nunca concluiu o curso de Direito. Todavia, ele nunca deixou de nutrir uma enorme vontade de atuar na área.

Por uma ironia do destino, acaba conhecendo Harvey Specter (Gabriel Macht), um dos melhores advogados de Nova York. Specter, surpreendido pela capacidade de memorização e compreensão das leis que Mike possui, acaba contratando-o para trabalhar no seu escritório.

Aos poucos somos apresentados à rotina corrida que ambos possuem para negociar e obter os resultados que seus clientes desejam. Mas ao contrário do que você imagina, a trama não se limita às questões jurídicas. Ela se aprofunda também em outros aspectos do mundo corporativo.

Um deles, por exemplo, é sobre como enxergar uma possibilidade em cada obstáculo. Para ter um futuro profissional de sucesso, é preciso enxergar além e pensar “fora da caixinha”. Nunca deixando, obviamente, de investir em sua própria capacitação.

2. Séries para empreendedores: Mad Men

A série nos apresenta Don Draper (Jon Hamm), um dos publicitários mais talentosos da década de 1960 em New York. Abordando o clima da época, somos apresentados à sua rotina, dividida entre a agência e a vida com a família.

E é justamente no seu ambiente de trabalho que Don precisa lidar com uma série de situações. Entre elas, a aquisição de novos clientes em um período de grande movimentação social e política. Além disso, ele enfrenta também a ambição e a disputa pelo poder com seus colegas diariamente.

Ao longo das suas cinco temporadas, Mad Men aborda dois pontos bastante relevantes. Em primeiro lugar, a importância do marketing no relacionamento das marcas com seus consumidores. Além disso, a série também ressalta a importância de empreender e investir para criar novas oportunidades e se destacar no mercado.

3. Séries para empreendedores: House of Cards

A Netflix não poderia ficar de fora desta lista, com uma das séries de maior destaque nos últimos anos.

Estamos falando de House of Cards, que segue a ascensão de Frank Underwood (Kevin Spacey) no centro da política norte-americana. O congressista tem apenas um único objetivo: se tornar o presidente dos Estados Unidos. Ou seja, o homem mais poderoso do mundo.

Ao longo da produção, aprendemos a articular com todos os tipos de parceiros — até mesmo os mais improváveis. Isso acontece porque é essencial ter uma boa estratégia de negociação e manter um bom networking. Ambas as ações, inclusive, são vivenciadas na prática pelo protagonista em sua busca para alavancar a carreira.

4. Séries para empreendedores: O Sócio

Este é outro seriado excelente para quem busca empreender. O programa é apresentado e estrelado pelo norte-americano Marcus Lemonis, um empresário bem-sucedido do mundo corporativo.

Durante os episódios, acompanhamos Lemonis ajudando outras empresas que estão com problemas financeiros ou à beira da falência. Ele investe pessoalmente uma quantia (que varia de acordo com cada companhia) para que elas se reergam e tornem-se lucrativas.

Em cada história, O Sócio ensina a visão de um empreendedor de sucesso para negócios de pequeno e médio portes. Sempre, é claro, com o objetivo de que elas apresentem ótimos resultados.

Para isso, ele aplica o seu próprio mantra pessoal, baseado em três “P”: o produto, os processos e as pessoas. Isso porque, segundo Lemonis, essa é a chave para o sucesso de qualquer empreendimento.

5. Séries para empreendedores: Shark Tank

Imagine entrar em uma sala com cinco potenciais investidores. Agora, idealize apenas alguns poucos minutos para apresentar e defender o seu projeto — ou mesmo a sua empresa. Essa é a proposta de Shark Tank, também conhecido aqui no Brasil como “Negociando com Tubarões”. Mais uma dica que não poderia faltar entre as séries para empreendedores que você deve assistir.

Não é à toa que o programa ficou famoso entre aqueles que desejam empreender e crescer profissionalmente. Afinal, é a grande chance de apresentar a sua ideia a grandes empresários de sucesso. Caso tenha sucesso, você consegue o capital que necessita para pôr o seu negócio em prática  e começar a lucrar.

Só para convencer um dos investidores, o empreendedor precisa mostrar jogo de cintura e muito conhecimento sobre negócios. Além disso, a produção é uma ótima oportunidade para avaliar o que os jurados consideram como pontos negativos e positivos. E isso é válido tanto na hora de investir em um candidato como na hora de reprovar uma ideia.

6. Séries para empreendedores: Silicon Valley

Por fim, mas não menos importante, o último título da nossa lista: Silicon Valley, da HBO. Na trama, um grupo de programadores trabalha na região pólo de empresas científicas e de tecnologia — o Vale do Silício.

Embora tentem crescer nos seus respectivos cargos e alavancar a carreira, todos se sentem estagnados, explorados e sem perspectivas. Porém, todo esse pensamento muda depois que Richard (Thomas Middleditch) cria um algoritmo especial. Por meio dele, a equipe vai mudar de vida criando uma startup.

Para quem deseja começar seu próprio negócio, a série é um oásis de informações e referências. Afinal, retrata como grandes empreendedores chegaram ao topo mesmo quando não tinham nada. Tudo isso, claro, graças às suas capacidades de inovação, a uma boa gestão e à busca correta por investimento.

Gostou da nossa lista de séries para empreendedores? Com elas é possível aprender e se entreter ao mesmo tempo. E o melhor: absorvendo a importância de perceber o timing certo para investir no seu negócio. Afinal, depois que você aprende isso, passa a empreender com sucesso e a ter uma carreira repleta de êxitos.

Aproveite o tema e confira qual é a melhor forma de investir seu dinheiro escolhendo entre poupança, tesouro direto e previdência

Empresárias apostam em moda hipster para roupas de bebês e crianças

Duas empresárias gaúchas, tia e sobrinha, Astrit Hoffmann e a Elisa Hoffmann, lançaram uma marca infantil no estilo hipster, palavra inglesa que descreve pessoa que inventa e lança moda e novas tendências.

“A ideia dessa empresa, dessa marca, surgiu quando eu estava procurando roupas de bebês mais simples com menos bichinhos, padrões de personagem e menos azul e rosa. E no exterior tinha tendência de estampas geométricas tons neutros, monocromáticos. E essa ideia me encantou e resolvi trazer pro Brasil”, conta Elisa.

Para começar a empresa, foi feito um planejamento de 8 a 10 meses e um empréstimo no banco de R$ 80 mil. Quando a Astrit entrou, investiu mais R$ 50 mil para dar volume de produção.

A linha bebê vai de 0 a 24 meses e a linha infantil vai até 6 anos. Um dos maiores desafios do negócio foi achar os fornecedores e os prestadores de serviços. Outro foi encontrar o público alvo, já que era um público novo no mercado brasileiro.

Para fazer as coleções, as empresárias fazem pesquisa de tendências e escolhem as estampas. A produção é terceirizada e a finalização é feita no escritório delas. Hoje, a marca vende uma média de 2 mil peças por mês. O ticket médio é de R$ 50 por peça. As vendas são feitas pelo site e as entregas pelo Correio. Os planos são ampliar a linha de produtos e ter uma loja física.

globoplay.globo.com/v/7658843

Materia Original: https://g1.globo.com/economia/pme/pequenas-empresas-grandes-negocios/noticia/2019/06/02/empresarias-apostam-em-moda-hipster-para-roupas-de-bebes-e-criancas.ghtml